quinta-feira, 29 de maio de 2008

Champagne no. 2


26 de março de 2008.
Guarde bem esse dia se você tiver dois pedidos pra fazer na sua vida!
Depois de um champagne e um trabalho em grupo, lá vou eu pra minha entrevista.
Depois de algumas aventuras com o trem (do tipo: ir pra estação errada a 15 minutos da entrevista...) cheguei lá na hora exata.
Primeira pergunta já antes de entrar no studio: "Are you OK with dogs?"
Claro que eu repeti umas duas vezes: "Dogs? Dogs???".
Numa fração de segundos meu cérebro fez uma busca tipo aquelas do Windows, checando o arquivo que você perdeu no computador, pra tentar achar alguma outra palavra que pudesse soar como "dogs" e tivesse algum outro significado, fosse um termo técnico, ou algo assim...
"Sua pesquisa não encontrou nenhum resultado"
Dogs são dogs mesmo! E dali a pouco aparaceu na cena um boxer e um baixotinho que parece ser um vira.
Chegaram, me rodearam, me cheiraram, e lá veio a dona do escritório.
Mais ou menos 30 segundos de conversa e ela quis ir direto para o meu portfolio.
Desenhos, perguntas, desenhos, perguntas e ela começou a me dar uma lista de coisas pra fazer amanhã!!!!
Aliás, eu tinha discutido com o Lê peno memso dia que o momento da passagem da entrevista para o momento em que você é contratado é sempe uma linha nebulosa. De repente, no meio da conversa, as pessoas começam a falar como se você pertencesse à equipe.
Então uma sensação de "fazer parte" paira sobre você.
Depois de alguns segundo oscilando entre os pensamentos: "Tô entendendo ou tô me achando?" você conclui que: sim, você está contratado!
Acho que seria mais fácil no meio da entrevista, antes de entrar na fase: "você agora é parte", ter uma frase bem clara dizendo: "desse momento para frente você é contratado e continuamos nossa conversa"...
Bom, mas isso não interessa!
O que interessa é que voltei pra casa tendo cãibra na bochecha também e, claro, tive que imitar o Lê.
A lojinha de bebidas da esquina nunca vendeu tanto champagne num dia só!!!!

2 comentários:

cleo disse...

Olá crianças

Não dava para comemorar com guaraná???Uma coisa assim, digamos, bem brasileira....

Mami

Cíntia Mistro disse...

Mami

No meu tempo guaraná era "guaraná champagne". O mais próximo que conseguimos encontrar aqui foi só "champagne". Entende agora?