segunda-feira, 7 de abril de 2008

Semi-permanent

Esse é o nome do congresso do qual participei no último final de semana.
Sexta e sábado, conferências o dia inteiro sobre design gráfico, multimidia, cinema, animação e fotografia.
Antes que me perguntem o que eu estava fazendo lá, estou aproveitando o mestrado pra diversificar um pouco minha formação e animação esta entre os temas que quero começar a estudar.
O congresso foi o máximo!

Entre algumas presenças marcantes estava o fotografo americano Spencer Platt, vencedor do prêmio de melhor foto para imprensa em 2006 com a foto abaixo, tirada da guerra do Líbano. Ele também é o autor de uma das principais fotos do 11 de setembro, de quando o segundo avião bateu na torre, e que foi publicada no mundo todo.
Também assisti a uma palestra com um dos diretores de uma das maiores empresas de animação atuais - a Pixar, que fez Ratatouille, Nemo, Vida de inseto, Cars, Monstros S.A., entre outros filmes fantásticos.
O cara era demais e capaz de deixar qualquer um encantado pelo trabalho maravilhoso que fazem por lá. E o que há por trás de um filme desses... Vocês nem imaginam!
Pra quem já viu reportagens e fotos sobre como é o ambiente de trabalho no Google e achava legal, veja o que se pode fazer (e fazem) com as baias dentro do escritório da Pixar.
O próprio diretor que estava falando com a gente tem uma parede falsa na sala dele. Atrás dela nada menos que um cassino com bar, mesa de roleta, carpete vermelho e tudo mais!!!
Claro que, como em todo congresso, tinham que ter os palestrantes péssimos, e essa classificação ficou a cargo dos artistas plásticos que foram falar.
NAAAAADA contra os artistas, em hipótese alguma. Mas quem apresenta para uma platéia de mais de 2.000 pessoas fotos de uma "manifestação artística" que fez e durante a qual uma pessoa injetava na veia dele "substâncias" para mostrar a diferença que elas faziam no desempenho do seu trabalho, pra mim não pode ser chamado de artista...
Ou o outro, que entrou na palestra, colocou uma seqüência de fotos dele e dos amigos dele no telão (não do trabalho dele, leia-se) e entre elas haviam várias deles fumando craque e coisas desse nível!
Detalhe: a platéia era cheeeeia de estudantes...
No Brasil talvez ele fosse preso no final por apologia às drogas, o que eu não acho nada mal já que escutamos uma estudante falando que adorou a "filosofia" dele...
Filosofia? Pobre Platão!
Para salvar a moral dos artistas, em compensação, assisti uma palestra de uma que se chama Amy Sol e tem um trabalho bem interessante, inspirado nos Mangás japoneses. Chequem o site, vale a pena conhecê-la. Totalmente centrada, pra provar que pra ser artista - e bom - não precisa ser maluco!

Um comentário:

cleo disse...

Eu iria AMMMAAAR um curso desses... que inveja!!! Ainda bem q é inveja de mãe.
Bjs Cleo