sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

A primeira vez a gente não esquece

E a primeira vez a qual me refiro é meu primeiro corte de cabelo na terra dos cangurus (ou seria perto da terra do sol nascente? Explico mais tarde).


Pra quem não sabe, eu tenho um certo medo de cabeleireiros novos, por isso posso dizer que tive dois até hoje na minha vida (sem contar a minha mãe, que cortou mais que meus cabelos – minha orelha também – por muitos anos).


No meu primeiro ano de Austrália tive a brilhante idéia de esperar minha ida ao Brasil para cortar lá (sim, o medo era grande).


Resultado: perto da viagem meu cabelo estava tão horrível que eu cheguei a conclusão que qualquer corte ruim seria melhor do que a falta de corte (conclusão talvez precipitada…).


Dessa vez criei coragem, pedi referências para todas as pessoas que conheço na Austrália, escolhi o mais perto da minha casa e lá fui eu!

O salão é coreano, os cabeleireiros são coreanos, o nome é coreano e imaginem como eu saí de lá…


Até meio olho tava puxado (foto ilustrativa)!


Ela fez tanta escova, chapa, estica, estica, estica e meu cabelo tá no ombro. Imagine a hora que ele voltar às ondas e textura normal…


O corte em si está lindo. O problema é que o meu cabelo não tem NADA a ver com um cabelo oriental.


Eu estou mais pra urso-do-cabelo-duro, como minha irmã gosta de me chamar, ou Elba Ramalho, apelido carinhoso do meu marido, do que pra uma gueixa…

Ou seja, tinha duas opções: ficar os próximos 3 meses sem lavar o cabelo ou viver a base de chapa.


24 horas depois eu já não estava aguentando de curiosidade pra saber o resultado. Achei minha chapa, segurei ela na mão, fiz o nome-do-pai e lavei… Ai, ai…


Agora ele tá secando. Secando e subindo, subindo, subindo mais do que os números da crise financeira mundial.


Se nas próximas postagens eu aparecer só de chapéu, lenço ou simplesmente não aparecer, por favor, não perguntem nada porque o assunto é delicado pra mim…




ADENDO: o cabelo secou e eu tô parecendo um cruzamento de pajé de tribo da Amazônia (daqueles que tem um franja enorme) com o urso-do-cabelo-duro. Ou a Moranguinho, que tem um cabeção bem maior que o corpo. Ou melhor dizendo, a Laranjinha (foto ilustrativa 2)... Pelo menos as piranhas estão parando de novo no cabelo... Tem suas vantagens ser o bear-with-a-bad-hair!

2 comentários:

cleo disse...

Filhinha


O cabelo ( tb o cabeleireiro ) é muiiiitto impoertante p/ um amulher ... MAS ... você fica linda de qq jeito !!!!!!!!
Ou ... apareça de chapéu.

Cleo

Ju disse...

Gisele, nao se preocupe, sua fase laranjinha é temporária, e depois olho puxado vc ja tinha mesmo... e outra fiquei sabendo aqui em Mogi, q esse corte é o corte do momento aí na AU, portanto relax, vc tá fashion.
BJssssssssss ursinho do hard hair!!!!