quarta-feira, 9 de julho de 2008

Despedida

Ha duas semanas atras, falando com minha amiga do Ira, soube que ela estava indo embora da Australia...
A historia dela parece novela. E extremamente complicada, principalmente pra quem vem do Brasil e nunca teve que lidar com restricoes ligadas a fatores politicos (me refiro aos da minha geracao...).
Ela e o marido pensavam em se mudar de la pois queriam morar num lugar com mais liberdade. Ha uns 10 anos atras ele havia dado entrada num pedido de Green Card e estavam aguardando o resultado, so que o Green Card nao e estensivo ao marido/mulher, ele e concedido a quem fez o pedido. Na epoca em que ele pediu eles nem se conheciam ainda, entao ela nao fazia parte do processo.
Como estava demorando muito para os EUA conceder o documento eles resolveram se mudar para a Australia. Nesse meio tempo, entre a decisao, a aprovacao no mestrado, etc... o Green Card saiu e ele teve que ir para os EUA ficar la um tempo e poder pega-lo. Nisso ela veio pra ca pq as aulas iriam comecar.
Resultado: ele e medico, conseguiu o direito de morar nos EUA e trabalhar porque ja passou nas provas necessarias para validar a profissao la, mas nao pode leva-la com ela porque ela nao consegue visto de permanencia nos EUA por ser iraniana. Por outro lado, se ficarem aqui na Australia podem ficar juntos, mas aqui leva dois anos para um medico conseguir validar a profissao...
Com isso, ele resolveu que precisava voltar aos EUA pra trabalhar e ela decidiu voltar ao Ira porque nao queria ficar sozinha aqui. Durante os primeiros meses de curso (antes dele vir dos EUA pra ca) ela se sentiu muito triste e sozinha, longe da familia, amigos, etc... 
Entao agora eles se separaram de novo, foi cada um pra um lado e minha nova e mais querida amiga voltou pra casa...
Fiquei muito triste quando soube pq ela e um doce e foi uma pessoa por quem eu senti uma empatia muito forte de cara, e deu pra perceber que foi reciproco.
Ele nos levaram para jantar um dia num restaurante italiano para nos despedirmos e, em retribuicao, fiz um jantar em casa pra eles na vespera de irem embora.
Agora estou aqui, torcendo por eles, pra que resolvam a historia o mais rapido possivel e fiquem juntos, com liberdade, aonde quer que isso tenha que ser...

Um comentário:

cleo disse...

Diga a eles que venham p/ o Brasil... aqui temos uma viol~encai desenfreada... mas aceitmaos as pessoas de braços abertos... sem restrições...
Cleo