segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Torce, retorce, procuro mas não vejo...

No final não era nem pulga nem percevejo, mas o bicho fez um estrago razoável...
Na semana passada comecei a achar umas picadas no meu corpo e uns dias depois o Leandro aparece com as mesmas.
Começamos a ficar encanados que vinham do nosso colchão, já que enquanto estivemos de férias o dono do nosso apartamento tinha trazido um novo pra gente.
Reviramos o colchão todo e vimos uns micro-micro insetos que a meu ver pareciam uma pulga, mas a verdade é que eu vi pulga uma única vez na minha vida, então não sou muito boa em reconhecê-las...
Meu marido, pessoa criada no "campo" de São Paulo tem as mesmas habilidades, então ficamos sem saber o que era aquilo.
Enquanto não doscobríamos, lá fomos nós pra uma feijoada (sim, aqui acontecem feijoadas no domingo também!).
Começamos a escutar de todos os nossos amigo que por aqui existe um problema de infestação por "bedbugs", um inseto que aparece em hotéis e é espalhados normalmente por mochileiros ou outros viajantes que acabam levando o bicho na mala. Uma vez que a casa é contaminada, a saída é jogar fora e queimar colchões, travesseiros, sofás, roupas, carpete e afins...
Uma notícia super agradável de se receber num calmo e tranquilo domingo a tarde!
Sem ter muito o que fazer, seguimos com o pagode e a caipirinha!
Chegamos em casa e lá vamos nós voltar aos tempos de combate a insetos (vide primeiro mês de blog).
Descobrimos que o tal "bedbug" é ninguém mais ninguém menos que o percevejo, que pra mim só existia na musiquinha inocente do título.
Como a história não é bem essa, botamos o colchão na sacada, pegamos lençois novos, inflamos um colchão de ar e dormimos nele, no meio da sala.
Adiantou? Nem um pouco! Acordamos com mais picadas e lá vamos nós pro médico.
Depois de olhar as picadas ele disse que não eram definitivamente dos bedbugs (menos mal!), mas provavelmente de um ácaro que deveria estar nas nossas coisas.
Deu um anti-alérgico pra tomarmos e uma loção pra aplicarmos no corpo.
E agora estamos os dois aqui, cheirando que nem aquelas crianças piolhentas que tomam banho de creolina antes de ira pra escolinha pra não contaminar os amigos!
(Contato pela internet está liberado!)

Um comentário:

anna érica disse...

hahah
adorei essa historinha
mas afinal
menos mal que não precisaram queimar nada!
só remedinhos
boa sorte
sucesso em tudo